página inicial/notícias

OUTUBRO 2006 |NOVEMBRO 2006 |DEZEMBRO 2006 |JANEIRO|FEVEREIRO|MARÇO|ABRIL|MAIO|JUNHO|JULHO

D. XIMENES BELO VISITA MUNICÍPIO DE VALPAÇOS

O Bispo Emérito de Timor-Leste e Prémio Nobel da Paz no ano de 1996, D. Ximenes Belo, visita Valpaços no próximo sábado, dia 26 de Maio.
Da visita consta a assinatura do Livro de Honra do Município de Valpaços, uma Eucaristia celebrada na Igreja Matriz de Valpaços seguido do descerramento de uma placa que dará o seu nome a uma artéria da cidade: Rua D. Ximenes Belo – Bispo Emérito de Dili e Prémio Nobel da Paz 1996.
O Bispo D. Ximenes Belo nasceu a 3 de Fevereiro de 1948. Em conjunto com José Ramos-Horta, foi agraciado com o Prémio Nobel da Paz em 1996 pelo seu trabalho "em prol de uma solução justa e pacífica para o conflito em Timor-Leste".

PROGRAMA DA VISITA:
17h30 – Recepção Oficial e Assinatura do Livro de Honra do Município, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Valpaços;
18h00 – Eucaristia celebrada por D. Ximenes Belo na Igreja Matriz de Valpaços;
19h00 – Descerramento da Placa Toponímica com o nome “Rua D. Ximenes Belo – Bispo Emérito de Dili e Prémio Nobel da Paz 1996”
23.05.07

CANTO GREGORIANO NA IGREJA DE VALPAÇOS E CARRAZEDO DE MONTENEGRO

No passado fim-de-semana, a cidade de Valpaços e a Vila de Carrazedo de Montenegro foram palco de um concerto de Canto Gregoriano, durante as respectivas Eucaristias.
Desta forma, os fiéis que no fim-de-semana se dirigiram às celebrações, puderam apreciar o Coro Gregoriano de Penafiel, dirigido pela Directora de Coros, Ana Marjorie Pérez.
Fundado em 1999, o Coro Gregoriano de Penafiel já efectuou concertos em mais de quatro dezenas de igrejas de Portugal, e realizou já duas digressões internacionais com concertos em Burgos, na Abadia de Santo Domingo de Silos, Paris e Saint Genevieve de Bois. Alguns dos concertos são multidisciplinares, contando com a participação de grupos de teatro e bailado, com especial destaque para o concerto do V aniversário do Coro, onde compartiu palco com a Companhia Nacional de Bailado que realizou uma coreografia especial para o concerto idealizada pela mestra de bailado Maria Palmeirim.
Conta com três discografias editadas, uma delas fazendo parte do prestigiado livro “O cantar da História”, lançado em 2003. Em Junho de 2007, gravará outro CD, com diferentes músicas do Ano Litúrgico.
O Coro Gregoriano de Penafiel, realiza uma média de 30 concertos por ano, 18 dos quais incluídos em protocolos com 5 diferentes autarquias do norte de Portugal.
23.05.07

        

APRESENTAÇÃO PÚBLICA DA OBRA  “A LUTA DE UMA CRIANÇA”  DE JÚLIO DE JESUS MALTEZ

Teve lugar, na passada sexta-feira, dia 18 de Maio, no Auditório do Pavilhão Multiusos, em Valpaços, a apresentação pública da obra “A Luta de uma Criança”, da autoria de Júlio de Jesus Maltez.
A apresentação da obra ficou a cargo do professor Pires Brás, que salientou a “sensibilidade do autor”, destacando que “este livro é um grito de liberdade com os direitos da crianças”, ao mesmo tempo que “recorda a infância difícil do autor”.
Por seu lado, o Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, Francisco Tavares, realçou a “coragem do autor em escrever e publicar a sua infância numa obra feita com empenho e dedicação”. Francisco Tavares manifestou ainda a disponibilidade da Câmara Municipal de Valpaços “de colaborar com os escritores e artistas locais na divulgação e promoção dos eventos culturais”.
O autor, nascido a 18 de Dezembro de 1930, em Varges, freguesia de S. João de Corveira, Concelho de Valpaços, fez a tropa com 21 anos, no Quartel de Cavalaria em Lanceiros II, Calçada da Ajuda, Belém. Em 1952 regressou ao concelho de Valpaços, onde conheceu a sua esposa. Casou-se na Igreja do Bonfim Porto, a 18 de Maio de 1958.
Nos últimos 23 anos trabalhou na Paracélcia – Indústria e Comércio Farmacêutico, como Maquinista Força Matriz do IA.
23.05.07

APRESENTAÇÃO PÚBLICA DA OBRA  “BOÉMIOS DE VALPAÇOS”  DE FERREIRA ESTEVES

Teve lugar, na passada sexta-feira, dia 4 de Maio, no Auditório do Pavilhão Multiusos de Valpaços, o lançamento da obra “Boémios de Valpaços”, da autoria de Ferreira Esteves. O autor foi apresentado pelo Prof. Pires Brás e pelo Pintor Sousa Maia e, contou ainda com a presença do Presidente da Câmara de Valpaços, Eng. Francisco Tavares.  
Na sua apresentação, o professor Pires Brás descreveu o escritor Ferreira Esteves como “um homem que escreve com o coração”, sendo as suas obras uma consequência “de tudo o que o autor vê e sente no ambiente que o rodeia”.apresentação livro boemios de valpaços
Por seu lado, o pintor Sousa Maia destacou a surpresa que o livro “Boémios de Valpaços” representou, salientando que “esta obra é um livro cheio de emoção, sentimento e memórias inesquecíveis de toda uma geração”. Na sua obra, Ferreira Esteves “percorre um tempo de amizades, amores e desamores, personagens caricatas e aventuras bem sucedidas de um grupo de jovens valpacenses”, ressalvou o pintor Sousa Maia.
Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, Eng. Francisco Tavares, destacou que a obra de Ferreira Esteves “evoca as memórias do concelho de Valpaços e de toda uma geração”, desta forma, a Câmara Municipal de Valpaços “não pode ser indiferente ao valor literário de Ferreira Esteves, estando sempre presente para apoiá-lo nos seus projectos”, concluiu Francisco Tavares.
Ferreira Esteves é natural de Chaves, nasceu a 18 de Junho de 1938.
Viveu em várias terras, por motivos profissionais do seu pai, mas foi em Valpaços que se fixou definitivamente no ano de 1952.
Em 1957, ingressou na Força Aérea, tendo optando por dar continuidade a esta Arma. Em 1982 passa à reserva como Primeiro Sargento; nove anos depois, devido às novas leis vigentes, passa à Reforma Extraordinária devido a um acidente em serviço. Actualmente, reside em Valpaços, e define-se como um filho adoptivo desta cidade.
Aos quinze anos já tentava fazer versos e quadras. Em 1956, realizou o seu primeiro trabalho dando-lhe o nome “Valpaços Menina”, que dedicou a Valpaços.
Ferreira Esteves tem concorrido a vários concursos de poetas populares. Com esta edição o autor eleva para onze os seus trabalhos editados.
17.05.07

        

APROVADO PLANO MUNICIPAL DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS

A Câmara Municipal de Valpaços viu o seu Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), elaborado durante o ano de 2006, aprovado pela Direcção Geral dos Recursos Florestais (DGRF), no âmbito dos objectivos traçados para 2007.
O Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios do Município de Valpaços cumpre assim o estipulado no Decreto-Lei nº 124 de 28 de Junho de 2006, o qual define um conjunto de acções para minimizar o impacte gerado pelos incêndios florestais.
Este plano identifica objectivos e recursos, traduzindo-se num modelo activo, dinâmico e integrado, enquadrando numa lógica estruturante de médio e longo prazos os instrumentos disponíveis, dos quais se salientam: implementação da gestão de combustíveis em áreas estratégicas; reforço das estruturas de combate e de defesa da floresta contra incêndios; promoção de acções de sensibilização para a floresta e para o uso correcto do fogo; adopção de estratégias de reabilitação de áreas ardidas; reforço da vigilância e a fiscalização;
No âmbito do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios do concelho de Valpaços, referente ao II Eixo Estratégico com o objectivo de educar e sensibilizar as populações, vai-se realizar uma acção de sensibilização “Sensibilizar e prevenir para proteger – Para um distrito com Floresta” com a participação do Prof. Dr. Hermínio Botelho da UTAD, promovida pelo Município de Valpaços em parceria com o Governo Civil de Vila Real, a realizar no dia 9 de Maio pelas 18h00 no Centro Cultural Luís Teixeira em Valpaços e dia 17 de Maio em Carrazedo de Montenegro.
17.05.07

        

REVISÃO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL

        

Foi aprovada, por maioria, com um voto contra, a revisão do Plano Director Municipal de Valpaços. Esta decisão teve lugar em sessão da Assembleia Municipal, na passada sexta-feira, dia 27 de Abril.
O Plano Director Municipal do concelho de Valpaços foi ratificado em Conselho de Ministros a 28 de Julho de 1994 e publicado em 9 de Setembro desse mesmo ano, através da Resolução de Conselho de Ministros n.º 79/94, tendo sofrido alterações, já em 2000, através da Resolução de Conselho de Ministros n.º 80/2000, de 7 de Julho.
A sua revisão iniciou-se em finais de 1998, ao abrigo de Decreto-lei n.º 69/90, sendo concluída atendendo já ao novo normativo aplicável, nomeadamente à Lei de Bases da Política de Ordenamento do Território e do Urbanismo (Lei n.º 48/98, de 11 de Agosto) e Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial (Decreto-lei n.º 380/99, de 22 de Setembro, com as alterações introduzidas pelo Decreto-lei n.º 310/2003, de 10 de Dezembro).
O Decreto-lei n.º 380/99, de 22 de Setembro, introduz alterações significativas e inovadoras relativamente ao estabelecido no Decreto-lei n.º 69/90, de 2 de Março, sendo de salientar o regime de coordenação dos âmbitos nacional, regional e municipal e a disciplina jurídica do procedimento de elaboração, aprovação, execução e avaliação dos instrumentos de gestão territorial.
A existência de um Plano Director Municipal, justifica-se, pela regulamentação objectiva dos conceitos urbanísticos, eliminando apreciações subjectivas, que por falta de regulamentação adequada, permitem o livre arbítrio na apreciação e aprovação de projectos urbanísticos e de arquitectura sem os adequados critérios vinculativos que não se integravam no ordenamento harmonioso que se pretende para o concelho.
O Plano Director Municipal estabelece as regras a que deve obedecer a disciplina urbanística, através do respectivo regulamento, onde a noção atempada do respeito por conceitos urbanísticos permitiu delinear uma politica urbanística exemplar para o concelho.
A revisão do PDM do concelho de Valpaços revela-se de primordial importância, essencialmente, por razões de gestão municipal.
O Plano assume uma estratégia de suporte, a qualificação e classificação do solo, a programação das acções municipais, critérios da perequação compensatória e unidades operativas de planeamento e gestão.
A delimitação dos perímetros urbanos apoiou-se em critérios realistas e que, sem por em causa o património natural e a própria funcionalidade do aglomerado, fossem de encontro ao interesse e às necessidades das populações locais.
O modelo de estrutura espacial do território do concelho de Valpaços estabelecido na Planta de Ordenamento pretende adequar-se às especificidades do território e decorre da estratégia assumida pela Câmara Municipal integrando, simultaneamente, as opções de âmbito nacional e regional - conforme decorre do estabelecido no Dec. Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro.
O modelo de ordenamento consignado no Plano assenta nos seguintes objectivos estratégicos:

  1. O fortalecimento da coesão territorial, pela afirmação da cidade como principal centro de prestação de serviços, a adopção de um modelo de desenvolvimento multipolar devidamente hierarquizado, o acréscimo da mobilidade interna e externa;
  2. A preservação da qualidade ambiental e do património natural e edificado;
  3. A modernização e diversificação dos sectores económicos, através da reestruturação e potenciação dos recursos endógenos existentes e da constituição de uma política de promoção do acolhimento empresarial.

17.05.07

APRESENTAÇÃO PÚBLICA DA OBRA  “BOÉMIOS DE VALPAÇOS” DE FERREIRA ESTEVES

Vai ter lugar, na próxima sexta-feira, dia 4 de Maio, pelas 18h00, no Auditório do Pavilhão Multiusos de Valpaços, o lançamento da obra “Boémios de Valpaços”, da autoria de Ferreira Esteves. O autor será apresentado pelo Prof. Pires Brás e pelo Pintor Sousa Maia e, contará com a presença do Presidente da Câmara de Valpaços, Eng. Francisco Tavares.    
Ferreira Esteves é natural de Chaves, nasceu a 18 de Junho de 1938.
Viveu em várias terras, por motivos profissionais do seu pai, mas foi em Valpaços que se fixou definitivamente no ano de 1952.
Em 1957, ingressou na Força Aérea, tendo optando por dar continuidade a esta Arma. Em 1982 passa à reserva como Primeiro Sargento; nove anos depois, devido às novas leis vigentes, passa à Reforma Extraordinária devido a um acidente em serviço. Actualmente, reside em Valpaços, e define-se como um filho adoptivo desta cidade.
Aos quinze anos já tentava fazer versos e quadras. Em 1956, realizou o seu primeiro trabalho dando-lhe o nome “Valpaços Menina”, que dedicou a Valpaços.
Ferreira Esteves tem concorrido a vários concursos de poetas populares. Com esta edição o autor eleva para onze os seus trabalhos editados.
02.05.07

APRESENTAÇÃO DO LIVRO “ ARMANDO MORAIS SOARES - O ÚLTIMO JOÃO SEMANA” DA AUTORIA DA DR.ª MARIA ALINE FERREIRA

Foi apresentado, no passado domingo, dia 29 de Abril, na Sede da Associação Cultural, em Lebução, concelho de Valpaços, o livro biográfico “ Armando Morais Soares - O Ultimo João Semana” da autoria da Dr.ª Maria Aline Ferreira.
Perante uma imensa plateia que encheu as instalações da Associação Cultural, a obra foi apresentada pelo Dr. Ernesto Salgado Areias, Presidente do Rotary Club de Chaves e, contou com a intervenção da autora e do Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, Eng.º Francisco Tavares.       
Na sua apresentação, Ernesto Areias salientou o “trabalho extraordinário e a investigação muito séria sobre um homem surpreendente, realizado pela autora, Maria Aline Ferreira” que veio a realçar ainda mais o “carácter dedicado de um homem honesto e corajoso”.
Por seu lado, a autora destacou a “preocupação para que a investigação fosse rigorosa e correspondesse à verdade dos factos”, referiu Maria Aline Ferreira, acrescentando que “este livro é a história de um homem, mas também é a história do concelho de Valpaços”.
Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, Francisco Tavares, salientou que “colaborar nesta obra foi um privilégio para a Câmara Municipal, porque o Dr. Armando Morais Soares, é uma figura ímpar do concelho de Valpaços, que devemos relembrar sempre pela sua bondade e solidariedade para com os mais necessitados”.
Este evento contou ainda com a actuação da Tuna Académica da Universidade Sénior de Rotary Chaves e com actuação dos Gaiteiros de Lebução.
Concluída a licenciatura em Medicina, em Coimbra, no ano de 1928, Dr. Armando Morais Soares, voltou à sua terra natal, Vilartão, passando a percorrer diariamente as aldeias dos concelhos de Valpaços, Chaves, Vinhais e Mirandela, visitando enfermos, conquistando o respeito de todos  e tornando-se numa personagem ilustre do concelho de Valpaços.
A autora desta Biografia, Maria Aline Caetano, nascida em 1947, é Professora do Ensino Secundário na Escola Secundária Júlio Martins, em Chaves e, Presidente do Conselho Executivo da mesma entre 1998 e 2006. Neste momento é também vereadora na Câmara Municipal de Chaves.
02.05.07

        

 

 

 

voltar